domingo, 12 de setembro de 2010

Se eu for embora agora


Pra ouvir: Se eu for embora agora

Se eu jurar te esquecer, promete que se zanga? Aumenta o tom de voz, se altera e me diz que sou louca de desistir de nós dois. Me aperta pelos braços e me sacode como quem quer me fazer pegar no tranco, mas, por favor, não me diz que aguentaria.
Há vidas atrás eu tento recuperar teu gosto puro de entrega apaixonada. Há vidas inteiras eu tento te mostrar que o amor é sim capaz de trazer alegrias. Mas seus argumentos hostís de quem não sabe se confia na voz que vem do próprio peito tem feito meu coração suar.
Não preciso explicar porque naquele dia eu te tirei de casa só pra ver de novo como seu sorriso fica lindo no meio da madrugada quando o sono tá querendo te abraçar. Nem dizer o que dentro de mim me fez te tirar bêbado daquela festa pra te deixar em casa sob segurança e te cuidar até adormecer.
Preciso argumentar as minhas birras pra que tu seja um homem bem sucedido na tua carreira e que seja também um bom filho pra tua mãe? E será que ficou pouco clara aquela loucura pelo conforto do teu abraço nas noites em que o meu peito inchava de tanto te chamar? Eu amo você e sobre isso argumentos são desnecessários. Eu simplesmente amo você. E por esse amor cansei dos placebos românticos pra forjar alegria em fotos de família. Não quero um espaço ocupado, quero uma vida preenchida pela tua forma espaçosa de existir em mim. Quero você me escorrendo pelos braços, pernas, bocas e olhos. Quero você vivendo em mim, quero existir em você.
Então corre pra mim e berra que esse amor que me declara é tudo que tem pra me dar, me chama de tola e mostra que sem você eu vou achar a vida um tédio, ri da minha cara e prova por A+B que nós fomos desenhados com os mesmos traços que se cruzam e se entrelaçam em todas as quinas. Diz na minha cara que se eu for embora você vai infernizar minha vida até que eu volte atrás, diz que me encontra no inferno se for preciso e que me leva pelos braços, arrastada e rendida pra junto do teu corpo.
Não me deixa desistir de você, não fica ai chorando de costas enquanto estou a um passo da porta, não me diz que lamenta e nem me pede perdão, como quem não encontra saídas a não ser se arrasar.
Não me olha com dor, não expressa esse vazio triste, não me traz esse olhar dilacerado e reprimido, não me faz achar que é fraco diante de mim.
Se eu for embora agora, eu juro, eu vou pra ficar.
Então briga comigo, se exalta, perde a linha e diz até umas besteiras... mas por favor, não me deixa ir!


Texto: Carina Mota

3 comentários:

  1. Bonito isso, Carina. A gente também gosta disso. Antes "ela" tivesse me dito algo parecido...
    Beijo

    ResponderExcluir

E aqui, qualquer carinho é bem-vindo =D